A ESTRATÉGIA DO INIMIGO

HSLI - HOLY SPIRIT LEARNING INSTITUTE

A DEFESA DA FÉ

O QUE SIGNIFICA ANDAR NO ESPÍRITO?

Um breve histórico da queda do homem. Andar segundo o Espírito e ter a mente colocada nas coisas do Espírito; significa também ter o Espírito dirigindo a alma e controlando o corpo, como no jardim do Éden. Os que andam segundo o Espírito são aqueles que se preocupam com as coisas do homem interior, e cuja mente é, portanto, espiritual. Andar pelo Espírito indica simplesmente que a mente sob o controle do Espírito se fixa nas coisas do Espírito. Isso significa que a tua mentalidade foi renovada e, você passou a ser controlado (a) pelo Espírito, estando assim qualificada para detectar todo movimento e silencio do Espírito e apta para ouvir a voz de Deus. Andando em Espírito não te deixa submisso (a) a lei, a natureza pecaminosa e a autoridade e o poder de satanás sobre a tua vida. Talvez você esteja se perguntando o que significa essa submissão e quais os seus efeitos em você e nas pessoas que não tem uma comunhão com Senhor e Salvador Jesus Cristo. Tudo começou no jardim do Éden, no início da criação, Deus tomando um punhado de terra, moldou um corpo humano. Então soprou-lhe nas narinas o folego da vida e o homem passou a ser alma vivente (Gênesis 2 v 7). Dois tipos de vida surgiram naquele dia: A vida animal ou psíquica e a vida espiritual, que se tornou o espírito humano, capacitando o homem a se comunicar com Deus, que é Espírito. A bíblia afirma que o homem se tornou alma vivente. A alma ocupa o centro, entre o espírito e o corpo, sendo o ponto de encontro destes dois. Antes de Adão e Eva pecarem, o espírito humano controlava a alma e o corpo, portanto antes do pecado o homem andava em espírito. Entretanto, com o livre arbítrio que recebera como parte de sua alma, Adão escolheu desobedecer a Deus e, quando o fez o espírito cessou a capacidade de comunhão com o criador e ao invés de ser teocêntrico o homem passou a ser egocêntrico (eu). Em outras palavras, o ser humano passou a viver apenas em função dos seus sentidos físicos e a mente, ou seja, passou a andar na carne. No jardim do Éden havia a lei divina, proibindo Adão e Eva de comerem do fruto proibido. O inimigo passou a dialogar com Eva, sobre a ordem divina de não comer os frutos da árvore do bem e do mal. Sabendo que Eva não tinha pecado o inimigo não atacou o seu coração, mas a sua mente; e, assim ela recebeu os pensamentos sugeridos pelo inimigo, caindo desse modo em seu logro. Veja, mesmo sem estar em pecado o inimigo roubou de sua mente as advertências divinas e colocou as suas odeias malignas e, ao comer do fruto estava obedecendo as suas ordens, ou seja, após o diálogo Eva e Adão passaram a ter um outro senhor. Com a sua atitude a natureza pecaminosa do inimigo passou a fazer parte da sua existência. O problema do ser humano não está em seu exterior e sim no seu interior. Com essa herança o ser humano se multiplicou no mundo e o pecado se tornou uma coisa natural. Seja qual for a lei, divina ou não o inimigo tenta o ser humano a viola-la fazendo com que a natureza pecaminosa do seu ser seja ativada e entre em confronto com a lei criando assim uma rebelião interior, dando origem ao pecado. Entenda bem uma coisa, andar na carne significa estar submisso a lei, a natureza pecaminosa e ao poder e a autoridade de satanás e seus demônios. Significa viver apenas pelos sentidos físicos e a mente e não pela palavra de Deus. As atitudes da carne são todas as ideias, planos, projetos, imaginações e boas obras que procedem da mente humana, sem terem sido originadas pelo Espírito Santo. Podem ser boas ou más, do ponto de vista humano, mas do ponto de vista de Deus são todas inaceitáveis, porque sua origem é a carne e não o Espírito. Essas atitudes da carne são ás vezes difíceis de perceber porque ocorrem no campo das ideias e pensamentos e muitas vezes parecem muito nobres. No entanto, essas atividades da alma têm sempre o “EU” como seu centro. A autoconfiança e autossuficiência são dois traços notáveis da alma. O mundo aplaude essas características e elas parecem ser qualidades admiráveis, mas Deus diz que elas indicam uma confiança na carne, em contraste com a confiança no Espírito Santo que habita em você. Enganam-se aqueles que pensam que ao aceitar Jesus como Senhor e Salvador das suas vidas e tem o seu espírito regenerado não precisam, continuar caminhando para a sua completa libertação, incluído a alma e o corpo. O sacrifício do Senhor Jesus não foi apenas para a regeneração do espírito, mas também inclui a libertação da alma e do corpo das mãos do inimigo, levando assim o ser humano de volta do jardim do Éden, quando o homem andava em espírito controlando a alma e o corpo. Se a mente não estiver renovada com a palavra de Deus, o inimigo continuará dominando como fazia no passado, antes de você aceitar Jesus Cristo. Tua mente precisa ser renovada como Paulo diz em (Romanos 12 v 2), para que possa compreender as verdades da tua crucificação com Cristo. A tua mente precisa, ser lavada para eliminar cada resíduo da velha vida centralizada no “Eu”, depois disso um novo conceito de si mesmo deve ocupar um lugar em tua mente. Tua mente deve ser renovada antes do teu comportamento poder modificar-se. Enquanto não houver libertação total e perfeita harmonia entre o espírito, alma e corpo, você seja cristã (o) ou não estará submissa a lei, a
natureza pecaminosa e principalmente sob o poder e a autoridade do inimigo, ou seja, ele continuará controlando tudo o que diz respeito a tua vida e além disso terá acesso ao teu corpo, colocando doenças e enfermidades. BENNY HINN, em seu livro “A Unção”, diz o seguinte nas páginas 14 e 15: 1) – Você será libertado do pecado. Você, tal como tantos outros crentes, deve ter lutado quanto a alguma área de tua vida, que não tem podido dominar durante anos. A bíblia ensina que você não será libertado da lei do pecado, enquanto não estiver seguindo o Espírito. A retidão passará a fazer parte natural de sua vida, quando você aprender a andar no Espírito. Você não precisará fazer algum esforço em busca de retidão. Sua mentalidade será transformada. Você será liberto da fixação mental sobre as “coisas da carne”, mas ao contrário haverá de pensar nas coisas do Espírito. Você sentir-se-á totalmente, em paz. Porquanto, Paulo ensina que a inclinação do Espírito é “vida e paz”. Você será curado da cabeça aos artelhos, porquanto aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo também revivificará os vossos corpos mortais. Algo de que a grande maioria dos membros do corpo de Cristo precisa desesperadamente. Você receberá a morte total para o “Eu” e a plena vida de Deus. Porquanto Paulo disse que se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Você receberá intimidade com o pai, quando por meio do Espírito, você contemplar a sua face, a fim de dizer-lhe: Aba pai – papai! Repetindo, se você andar segundo a carne se inclinará para as coisas da carne e estará submisso a lei, a natureza pecaminosa e a autoridade e poder de satanás; mas se andar segundo o Espírito estará livre da lei, da natureza pecaminosa e senão senhores de satanás e seus demônios. A tua mente é capaz de se inclinar para a carne como também para o Espírito. Tua faculdade mental (alma) fica entre o teu espírito humano e a carne (aqui especialmente o corpo). Seja o que for que a tua mente se fixar nisso é que você andará. Se ela se ocupa com a carne andará segundo a carne; por outro lado, se ela fixar no Espírito, seguirá após ele. É, portanto, desnecessário perguntar se está nos inclinando para o Espírito ou não? Basta olhar as experiências que está vivenciando em teu dia a dia. O que mente fixa e observa em tua experiência? O que está obedecendo? Está prestando atenção ao homem interior ou obedecendo à carne? A ocupação com os assuntos do Espírito te fará homem espiritual, enquanto que a ocupação com a carne fará de você uma pessoa carnal. Se tua mente não for governada pelo Espírito, ela será governada pela carne; se não for guiada pelo céu, será guiada pela terra; se não receber orientação de cima, receberá de baixo. Seguir o Espírito produz vida e paz, enquanto que seguir a carne resulta em morte. Do ponto de vista de Deus, nada que brote da carne, contém qualquer valor espiritual. Um exemplo prático da influência da lei, da natureza pecaminosa e da autoridade do inimigo. Ora, o Senhor disse a Abraão: Sai-te da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei; e farei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma benção. E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem e em ti serão benditas todas as famílias da terra. Assim, partiu Abraão como o Senhor lhe tinha dito; e foi Ló com ele; e era Abraão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.
(Gênesis 12 v 1 a 4). A pergunta a ser feita sobre o texto é a seguinte: porque Abraão levou consigo seu sobrinho Ló, mesmo sabendo que esta não era a vontade divina? Será que esta decisão foi pensamento próprio de Abraão ou teve uma sutil influência do inimigo quase imperceptível? A resposta é afirmativa. Abraão era um homem temente a Deus, além de lhe prestar obediência total, procurava seguir os seus mandamentos de forma incontinenti. A palavra de Deus revelava a sua perfeita vontade a Abraão. Não era um simples pedido, mas uma ordenança divina a ser cumprida por Abraão, em outras palavras era uma lei. O inimigo de forma astuta, em uma sutil tentação ativou a natureza pecaminosa de Abraão para que ele violasse a lei divina, ignorando a vontade de Deus e levando o seu sobrinho Ló consigo. Ele foi levado pelo sentimento (alma). Abraão não era perfeito, isto significa que ele como qualquer um de nós, filho (a)s de Deus, não sejamos enganados pelo inimigo, principalmente quando levamos em consideração a palavra de Deus, juntamente com os nossos sentimentos e emoções. Em outras palavras, a vontade divina nada tem a ver com os teus sentimentos, ela está alicerçada na fé, confiando na palavra de Deus, independente de ver ou sentir. O que importa é que ele diz. Resumindo, essas ideias não, surgiram apenas da mente de Abraão, além disso, se ele tivesse medido as consequências dessa decisão antes de tomá-las teria percebido a astúcia do inimigo. Ora, se você analisar a situação verá que o maior interessado no fracasso de Abraão era do inimigo, pois ele sabia que Deus cumpriria a sua promessa, portanto, se ele conseguisse influenciar Abraão sentimentalmente, ele levaria o seu sobrinho Ló, contrariando a vontade divina e como consequência, assumiria uma responsabilidade em relação a sua vida e integridade física, tomando decisões desnecessárias que o levaram quase a perder a promessa divina. Como, por exemplo, se ele porventura escolhesse seguir para as campinas do Jordão rumo a Sodoma será que ele cumpriria o seu propósito divino na terra? E, se ele tivesse morrido na guerra contra os cinco reis para libertar o seu sobrinho Ló, teria conseguido cumprir o seu propósito divino, se Deus não o tivesse assistido e lhe dado a vitória? Sem esquecer também de falar sobre o que levou Abraão a mentir em relação a Sara sua mulher? A obediência a Deus não significa você não enfrentará problemas e duras provações. Em todas as circunstancias continue olhando para as promessas e a fidelidade de Deus e nunca esqueça de analisar, antes de tomarmos a decisão, as consequências em relação a Deus, teus familiares negócios, família e principalmente em você mesmo. O inimigo estava atento a Abraão para impedi-lo de alcançar a promessa divina e arquitetou em sua mente todas aquelas ideias mentirosas de que se ele mentisse salvaria a sua vida e a de sua mulher Sara. Entretanto, viram-na os príncipes de Faraó e a levaram para a sua casa. Ora, como Deus poderia cumprir a promessa, feita a Abraão, se Sara estava cativa a Faraó? Impossível, mas era esse o objetivo do inimigo ao influenciar de forma sutil, a mente de Abraão. Porém, o Senhor feriu o Faraó com grandes pragas e a sua casa, e ele a entregou a Abraão. Se Deus não tivesse agido, Abraão teria cumprido o seu propósito divino? Nos encontraremos novamente no dia 24/04/24, caso queira colaborar com esse Ministério, deposite na Conta Corrente 18560-4, Agência 2200-4, Banco Bradesco ou PIX de nº 03.178.109.0001/01 CNPJ, o valor que Deus colocar em teu coração ou ajude em oração para que a perfeita vontade de Jesus e Deus Pai, seja alcançada, e que ele continue abençoando a tua vida. Amém.

PASTOR MÁRIO

“Eu sou aquele que vos consola. Quem és tu para que temas o homem, que é mortal, ou o filho do homem que não passa de erva.
Isa.51:12”